top of page
  • Foto do escritorAna Schmid

Conheça a mente psicopata e proteja seus pacientes



Estima-se que pelo menos 4% da população esteja dentro do Transtorno de Personalidade Antissocial (Psicopatia na linguagem do DSM-5), sendo 3% homens e 1% mulher.


Há discordância entre autores e também entre estudiosos de diferentes áreas como Psicologia, Psiquiatria Forense e no Direito com relação às definições de psicopatia, sociopatia, narcisismo e Transtorno de Personalidade Antissocial.

Usarei o termo Psicopata aqui para facilitar a mensagem, já que o intuito desse artigo é expor as características das pessoas verdadeiramente ruins e mostrar o que devemos fazer para proteger nossos pacientes desses indivíduos e preservar sua segurança e saúde mental.


O psicopata é sedutor, envolvente, simpático, bom de lábia, manipulador, mentiroso e é capaz de convencer pessoas extremamente inteligentes de que são generosos e honestos para depois aplicar golpes e torturas emocionais.


Eles estão dentro das igrejas em forma de líderes e também de devotos fiéis, estão nas empresas como chefes e funcionários exemplares e estão no governo de muitas nações.

Eles se disfarçam de cidadãos de bem e sempre farão o mal.


Quando crianças já maltratavam animais, não seguiam regra em casa, faziam bullying com os colegas, mentiam em casa, na escola e onde estivessem. Já manipulam fingindo tristeza, mas nunca sentiram culpa, remorso ou carinho. Nem mesmo por suas mães.


O cérebro de um psicopata é diferente. Seu sistema límbico, parte responsável pelas emoções, não trabalha da mesma forma que o de outras pessoas.

Quando ele vê alguém sofrendo, não ativa empatia e pena, mas prazer e poder.


Em relacionamentos amorosos vai mentir, trair, manipular e muitas de suas parceiras acreditam que estão ficando loucas, pois após descobertos eles seguem mentindo, acusando e se fazendo de vítima. E por não expressarem culpa ou medo (sentimentos que desconhecem), não são pegos facilmente em suas histórias mentirosas.


Como “amigos”, serão parasitas, golpistas e aproveitadores. Sempre deixando um sentimento negativo por onde passou.


Eles estão por toda parte e causam um mal enorme a um sem fim de gente.


Como terapeutas, precisamos estar atentas aos relatos de nossos pacientes. Possivelmente a pessoa que está fazendo mal está dentro deste vasto quadro que expus acima.

Nosso papel não é diagnosticar à distância, mas identificar os sinais para mostrar que COM AQUELA PESSOA SÓ HAVERÁ TRISTEZA E SOFRIMENTO.


Há sempre uma recusa inicial, uma negação por parte das vítimas.

E é aí que entramos, sinalizando as características e fortalecendo a autoestima e a segurança de nossos pacientes para que se afastem. Pois se afastar é o único recurso possível para se livrar das maldades de um psicopata.


Compartilhe esse artigo com pessoas que precisam conhecer a mente psicopata!


Ana Schmid - Mentora de Terapeutas


13 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

コメント


bottom of page